13 reasons why

quinta-feira, abril 20, 2017


A nova série queridinha da mídia é a que leva o título dessa postagem, ou, para os brasileiros, os 13 porquês. 
Sem dar nenhum spoiler, a série conta em 13 fitas K7 os motivos que levaram Hannah Baker a cometer suicídio com apenas 17 anos. Nós acompanhamos a trajetória de Clay, um colega de colégio e trabalho de Hannah, ouvindo as fitas e tentando entender porque está presente nelas.
Muitos personagens, queridos e odiados são inseridos ao longo dos episódios que levam o nome do número da fita que está sendo ouvida e do seu lado.

Muita gente me pergunta se o livro e a série são iguais, quais a diferenças e o que isso impacta na história. Resolvi criar uma lista das 13 diferenças mais significativas e comentá-las para esclarecer algumas questões que ficaram vagas, ou não no seriado.
A partir daqui o post contém spoilers, recomendo um desavisado a não continuar a leitura a não ser que não se importe:

1) Clay escuta todas as fitas em uma única noite
Enquanto uma das maiores reclamações que eu tenho lido nas redes sociais e ouvido de amigos é que ele demora infinitamente para ouvir todas as fitas, no livro ele recebe todo o impacto em uma única madrugada. O que nos leva ao segundo ponto:

2) Não existe interação do Clay com os outros personagens
Como ele escuta tudo em uma noite, ele simplesmente passa a caixa de fitas para a pessoa a seguir que, aliás, não é para quem ele direciona na série, ou seja, aquelas reações explosivas e de vingança ou de busca de informações simplesmente não existem, o que a meu ver tornam a série bem mais dinâmica e interessante.

3) Por outro lado, na série os sentimentos da Hannah ficam em menor evidência.
Algumas vezes cheguei a sentir que estava sendo até boba a forma como retratavam as reações da Hannah, como na cena que Brice literalmente pega na bunda dela que acontece de uma forma muito mais coercitiva, ou quando ela assiste ao estupro sem reação por estar absolutamente bêbada e entrar em estado de choque. Isso deixa uma lacuna aberta para muitas pessoas questionarem as razões de Hannah.

4) Pelo amor de Deus, ela não perde o dinheiro dos pais.
Achei completamente apelativa essa situação, os outros motivos já são o suficiente para que ela sinta-se péssima com o mundo, não precisava de mais um.

5) O Zach do livro é bem mais babaca do que o do seriado.
Honestamente, assistindo o seriado você se pergunta por que a Hannah foi tão explosiva com um cara legal como o Zach, mas a história não é bem assim. No livro ele grita e humilha a nossa protagonista ali mesmo no Rosie's, por ela não corresponder o afeto dele e, claro, depois rouba seus bilhetes.

6) Tyler foi suavizado no seriado por um lado e exagerado por outro.
O garoto foi sim um voyer no livro, e não apenas um admirador apaixonado por Hannah. Na cena em que ela o flagra, junto com Courtney, ele está com as mãos dentro das calças segundo a descrição do livro. Em contra partida, como já mencionado, não são mostrados os acontecimentos depois de Clay ouvir as fitas, o que significa que ele não possivelmente atirou em ninguém até ali.

7) Clay visita todos os lugares marcados no mapa.
O seriado nem chega a mencionar direito o mapa, mas no livro ele vai até todas as estrelas mencionadas e escuta as fitas no local. Na verdade, essa é a única movimentação do livro, Clay se deslocando pela cidade.

8) Tony só aparece duas vezes.
Sim! O personagem é citado apenas em dois momentos: Quando Clay rouba o walkman no início da história e, posteriormente no Rosie’s, quando Tony vai encontrá-lo e o ajuda com a fita dele.

9) Baile de Inverno
Não existe. Lide com isso.

10) A primeira casa da Hannah
Ta aí uma coisa que o seriado ocultou e eu gostei. A primeira casa em que Hannah Baker residiu é, nada mais, nada menos, que a casa do casal de idosos envolvidos no acidente. Um fato aleatório, desnecessário e que somente o Clay descobriu.

11) Courtney
Quem não ficou enojado com a Courtney que atire a primeira pedra, mas o ponto crucial a ser destacado é que ela se tornou uma personagem detestável com os plus atribuídos a sua personagem. Pequenas adições de cenas e comentários, reações às conversas com os outros mencionados nas fitas, tudo para criar uma personagem tão detestável quanto Brice.

12) Jeff não é amigo do Clay.
Essa para mim foi uma das maiores sacadas do seriado, foi atribuído um valor emocional muito forte para a morte de Jeff. No livro ele não passa do veterano que morreu no acidente de carro no cruzamento onde Hannah e Kristen derrubaram a placa.

13) O suicídio de Hannah não foi através dos cortes.
Eu entrei em estado de choque quando vi a cena do suicídio e, aliás, é minha maior crítica positiva e negativa com o seriado. No livro Hannah escolhe usar medicamentos e no seriado a cena foi tão impactante que não consegui nem mesmo assistir.

Existe várias discussões em relação ao seriado estar conscientizando por um lado e incentivando por outro. Essa cena chocante é a ilustração do paradoxo, mas deixarei para falar disso em outro momento, é muito assunto para uma análise tão breve.


You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts

Blog Archive

PINTEREST